Brasil: Exportações cresceram 23,2% em novembro deste ano ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


As exportações brasileiras registraram crescimento de 23,2% em novembro deste ano, em relação ao mesmo mês de 2020, totalizando US$ 20,3 bilhões. Os números foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia.

Na mesma comparação, as importações apresentaram o aumento de 53,1% somando um total de US$ 21,6 bilhões. Com esses resultados, a balança comercial fechou novembro com saldo negativo de US$ 1,31 bilhão e recuo de 92% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

De janeiro a novembro de 2021, a balança comercial alcançou US$ 57,19 bilhões com uma corrente comercial acumulada em UR$ 455 bilhões. Esse resultado representa um aumento de 20,5% em relação ao mesmo período de 2020.

O diretor-presidente da ABTP, Jesualdo Silva, avalia que o significativo crescimento da corrente de comércio brasileira foi viabilizado pelos contínuos investimentos em expansão e modernização que as empresas associadas vêm promovendo nos terminais portuários que operam.

Desempenho das exportações

Em novembro deste ano, todos os setores da economia exportaram mais em relação ao mesmo mês do ano passado. No setor de produção Agropecuária, houve um crescimento de 16,5%, totalizando US$ 3,01 bilhões. Na Indústria Extrativa o aumento foi de 14,8%, somando US$ 4,81 bilhões e a Indústria de Transformação experimentou um crescimento de 28,3%, totalizando US$ 12,34 bilhões.

O resultado positivo no setor Agropecuário foi puxado, principalmente, pelo crescimento nas vendas de produtos como frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (18,7%), café não torrado (3,9%) e soja (163,1%). Entre os produtos com maior desempenho na Indústria Extrativa estão o minério de ferro e seus concentrados (6,7%), minérios de cobre e seus concentrados (14%) e óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos crus (27,6%).

Já entre os produtos responsáveis pelo crescimento na Indústria da Transformação foram destaques: a gorduras e óleos vegetais, “soft”, bruto, refinado ou fracionado (1.025,6%), ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos e pó de ferro ou aço e ferro-ligas (55%) e produtos semi-acabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço (217,5%).

Principais produtos importados

Já na importação, novembro deste ano registrou crescimento nas compras de produtos como: pescado vivo, morto ou refrigerado (134,9%), trigo e centeio (62,7%) e milho (433,8%), carvão (103,2%), gás natural, liquefeito ou não (925,1%), óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (162,9%), medicamentos e produtos farmacêuticos (136,5%) e Adubos ou fertilizantes químicos (165,7%).


Compartir




ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias

Ver mais conteúdos