Movimentação portuária do período janeiro-julho nos portos do Brasil tem alta de 8,44% ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


Segundo o Painel Estatístico Aquaviário da Agência Nacional de Transportes Aquaviário (Antaq) as instalações portuárias do Brasil (portos públicos e portos privados) movimentaram 697,2 milhões de toneladas de cargas no periodo janeiro-julho.

Nesses sete meses foram movimentados pelas instalações portuárias brasileiras mais 54,2 milhões de toneladas do que em igual período do ano passado. Os números apontam crescimento na operação de todos os tipos de cargas em relação a 2020 com aumentos nos granéis sólidos (+5,13%); granéis líquidos (+12,06%); conteinerizada (+15,31%); e carga geral (+16,56%).

Minério de ferro, com 205 milhões de toneladas, seguido de petróleo e derivados, soja, contêineres e adubos (fertilizantes) foram as cargas mais movimentadas. Entre os portos que mais operaram carga no período, destaque para o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, com 97,8 milhões de toneladas movimentadas, e Santos, que operou 68,7 milhões e toneladas de cargas no período.

Julho

Especificamente em julho, a Antaq registrou alta de 1,36% na movimentação dos portos públicos e privados do país na comparação com igual mês do ano passado. Neste julho, foram movimentados 103,3 milhões de toneladas, totalizando mais 1,4 milhão de toneladas do que em julho de 2020.

As cargas de granéis líquidos (+ 13,58%), conteinerizada (+6,36%) e carga geral (+3,53%) apresentaram crescimento em relação a igual mês do ano passado. Só granéis sólidos registraram queda na comparação com julho de 2020 (-4,00%).

Os principais portos em movimentação no mês de julho foram o Terminal Marítimo Ponta da Madeira, que movimentou 14,4 milhões de toneladas; Santos (9,4 milhões de toneladas); Terminal de Tubarão (6,7 milhões de toneladas); Terminal Aquaviário de Angra dos Reis (5,9 milhões de toneladas) e Paranaguá (5,2 milhões de toneladas).

Já as principais mercadorias movimentadas foram: minério de ferro, com 33,1 milhões de toneladas movimentadas; petróleo e derivados (23,1 milhões de toneladas); contêineres (10,3 milhões de toneladas); soja e milho, com respectivamente 7,8 e 5,0 milhões de toneladas.

Considerando o transporte de cargas por tipo de navegação, houve crescimento no longo curso (+3,22%) e na cabotagem (+3,83%) em relação a julho de 2020. O transporte de contêiner na cabotagem cresceu 18,81%. Já o transporte de cargas em vias interiores caiu 29,01%.


 

Compartir




ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias

Ver mais conteúdos