Nova licença concedida para a construção do projecto ferroviário do Fico ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


O Ministério da Infraestrutura do Brasil, por meio da Valec, obteve do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ??(Ibama) a nova licença de instalação da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) em mais uma etapa do início da construção de mais de 380 quilômetros de estradas, entre Mara Rosa e Água Boa, nos próximos meses. A nova autorização tornará o projeto ferroviário mais sustentável.

Para cumprir as condições indicadas pelo órgão licenciador, os projectos foram alterados de forma a reduzir o número de aterros sanitários com altura superior a 20 metros, previstos para os quilómetros iniciais do Fico de forma a permitir a travessia de animais de um lado ao outro da estrada e minimizar possíveis acidentes.

“Em breve, iniciaremos as obras de construção do Fico, que ligará o Vale do Araguaia ao norte-sul e, futuramente, ao litoral baiano. A mobilização já começou. É o projeto da ferrovia brasileira travessia que se materializa”, destacou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

O Fico faz parte do plano de expansão da malha ferroviária do Governo Federal para reequilibrar a matriz de transportes e reduzir custos logísticos para tornar o produto brasileiro mais competitivo no exterior. Inicialmente, a ferrovia terá uma extensão de 383 quilômetros, entre Mara Rosa, da ligação com a Ferrovia Norte-Sul (FNS), a Água Boa (MT), podendo, no futuro, ser estendida a Lucas a partir do Rio Verde (MT).

A construção do Fico será executada pela Vale, fruto da primeira iniciativa de cross-investment do Governo Federal, desde a prorrogação antecipada do contrato da Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM), em parceria com a Valec.

A ferrovia criará um corredor logístico que ligará o Brasil de leste a oeste, quando for interligado, por meio da Ferrovia Norte-Sul, à Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). O primeiro trecho do Fiol, entre Ilhéus e Caetité, na Bahia, foi recentemente concedido à iniciativa privada, e o Governo Federal está trabalhando para avançar os outros dois trechos: de Caetité a Barreiras (Fiol 2), ainda na Bahia, e de Barreras a Figueirópolis, no Tocantins (Fiol 3).


 

Compartir



ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias