Nova OS da Portos do Paraná reforça protocolos e cuidados com a COVID-19 ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


A Portos do Paraná reforça a preocupação com a pandemia de COVID-19 e mantém o alerta para que todos os empregados sigam os protocolos sanitários a fim de prevenir a doença. Para tanto, foi editada esta semana a Ordem de Serviço 004/2022, com as normas e procedimentos necessários para preservar a saúde dos trabalhadores. A empresa pública pede a compreensão e engajamento de todos na prevenção.

De acordo com o documento, os cuidados permanecem e não podem ser relaxados: usar máscara cobrindo boca e nariz; lavar as mãos periodicamente ou realizar a higienização com álcool em gel; evitar tocar a boca, nariz e olhos; manter portas e janelas abertas para aumentar a ventilação; manter o distanciamento social e evitar o cafezinho coletivo nas copas espalhadas pelas dependências da empresa, entre outras medidas.

O trabalho remoto fica estabelecido para as empregadas grávidas, que terão o ponto e o cumprimento das tarefas monitorados pela chefia imediata.
Para os casos confirmados, com exame RT-PCR, a OS mantém a obrigação de aviso imediato à chefia e à Coordenadoria de Assistência Médico e Social (COAMS) e o afastamento do trabalho, conforme o atestado médico. Casos suspeitos e contato com caso confirmado devem se afastar do trabalho, realizar exame laboratorial e apresentar o protocolo à COAMS.

Empregado assintomático que teve contato suspeito deve avisar a chefia imediata e manter o alerta em caso de quaisquer sintomas. A não comunicação dos casos positivos de COVID-19 ao Comitê de Contingências incorrerá nas medidas administrativas cabíveis.

A Portos do Paraná manterá os cuidados do seu ambiente interno também para as empresas terceirizadas e arrendatárias portuárias, bem como mantém as restrições para o desembarque de tripulantes – com exceções para atendimento médico e odontológico – ficando as empresas sujeitas a sanções em casos de omissões ou informações fraudulentas.


 

Compartir




Ver mais conteúdos