Porto de Itajaí diminui filas de espera de caminhões com adoção do “Sistema Carrossel” e adequações operacionais ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


O “Sistema Carrossel”, que vem sendo estudado desde 2019 e começou a ser executado em dezembro de 2020, tem ajudado a reduzir as filas e conflitos de trânsito nas proximidades do Porto de Itajaí.

Com a adoção desse sistema os caminhões podem entrar e sair por portões diferentes, criando um fluxo único, que agiliza a operação, facilita a mobilidade e reduz o tempo que o motorista gasta se deslocando no pátio.

“Muitas pessoas nos questionam se o movimento do porto caiu porque as filas reduziram. Mas, pelo contrário, a movimentação cresceu em 2021. O que nos ajudou a melhorar essa condição foram mudanças operacionais que adotamos. O sistema denominado por “carrossel” está entre essas mudanças”, explica Fábio da Veiga, Superintendente do Porto de Itajaí.

De acordo com Jean Carlos Potrich, Coordenador de Informática e Tecnologia da Informação da Superintendência do Porto de Itajaí, acessaram o porto, nos primeiros três meses de 2021, 75.197 caminhões, uma média de 25.065 veículos por mês.

Heder Cassiano Moritz, Diretor Geral de Operações Logísticas da Superintendência do Porto de Itajaí, ressalta que a redução das filas de caminhões depende de um conjunto de ações, mas o carrossel é muito importante para a dinâmica da operação e sua implantação uma grande conquista para o Porto de Itajaí.

“A redução das filas não depende apenas da implantação do carrossel, mas de uma série de investimentos e melhorias como equipamentos, aumento de área, o plano operacional, o próprio tráfego no interior do pátio que foi otimizado com o carrossel – e que já se comprovou um sucesso, enfim adequações que fizemos e que ainda serão implantadas. Todo esse conjunto resulta na otimização da operação e consequentemente na diminuição das filas”.

Aristides Russi Júnior, Diretor-Superintendente da APM Terminals, acredita que é um processo contínuo de aperfeiçoamento e afirma que a APM continuará buscando dia-a-dia mais soluções que agreguem valor para os clientes e melhorem a performance e segurança.

“Nos últimos meses temos trabalhado incansavelmente em diversas ações e projetos de acordo com a metodologia LEAN (gerenciamento que busca a redução de desperdícios), para melhoria do atendimento aos nossos clientes, com foco especial aos motoristas. Junto com a superintendência, implantamos novas rotinas como utilização do sistema de carrossel, otimizando o benefício da existência de gates em locais distintos. Além disso, realizamos melhorias em processos operacionais e na utilização de equipamentos. Com isso, pudemos notar a diminuição de filas e do tempo de espera para liberação dos caminhões”, salienta

A Coordenadoria de Trânsito de Itajaí, por meio de seu responsável, Robson Alan Costa, destaca que atualmente tem atendido de um a dois chamados a cada duas semanas na região portuária. Nos meses anteriores os chamados para resolver conflitos e filas na região eram quase que diários.

“A adoção do Sistema Carrossel é algo simples e bastante comum na logística, mas em Itajaí temos uma característica particular de alfandegamento, que é a existência de dois recintos alfandegados dentro do mesmo pátio sem nenhuma barreira física entre eles, que cria uma complexidade um pouco maior”, ressalta Fábio.

Um recinto alfandegado é uma área destinada para carga e descarga de mercadorias e circulação de pessoas vindas ou destinadas ao exterior. Essa área é controlada pela Receita Federal e demais órgãos de fiscalização e controle de fronteira.

A zona primária do Porto de Itajaí compreende a área pública e a arrendada (APM Terminals), com dois portões de acesso, um para cada área. Apesar de estarem no mesmo pátio, essas áreas são distintas sob o ponto de vista do controle e fiscalização das mercadorias. Por isso, até então, os caminhões precisam acessar e sair do porto pelo mesmo portão, já que cada um pertence a áreas alfandegadas diferentes.

“O carrossel foi um avanço para nós. Pois conseguimos a liberação para que as mercadorias pudessem circular pelos dois portões trazendo um pouco mais de mobilidade no nosso pátio. Essa conquista é resultado de um esforço que começou em 2019, com horas de trabalho de desenvolvimento de sistemas, de fundamentações junto à Receita Federal”, destaca Fábio.

Ainda para Fábio, desde a liberação no final do ano passado, o resultado desse sistema tem se mostrado muito positivo para a operação.


 

Compartir





ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias