Rio Grande e Salvador esperam novas rotas após da homologação de Santos para receber naves de 366 metros de comprimento ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


Tecon Salvador

A Wilson Sons, que opera terminais de contêineres em Rio Grande (RS) e em Salvador (BA), avalia que a autorização da autoridade marítima para o Porto de Santos receber navios com 366 metros de comprimento e 52m de boca, concedida na semana passada, favorece novas rotas para o Brasil.

A leitura é que os novos parâmetros operacionais do complexo portuário paulista beneficiarão indiretamente os dois Tecons operados pelo grupo. Para a operadora, a homologação favorece outros portos brasileiros habilitados a receber esse tipo de embarcação, já que possibilita a atração de novas rotas para o país.

Em 2018, o Porto de Salvador (BA) recebeu homologação semelhante, sem restrições de navegabilidade por apresentar características ambientais e infraestrutura exigidas pela Marinha.

Em outubro do ano passado, com a homologação do novo calado no porto gaúcho, o terminal de contêineres operado pela Wilson Sons ratificou sua capacidade para atender dois navios de 366 metros simultaneamente.

“Com localização estratégica e equipamentos de ponta, o Tecon Rio Grande caminha para ser um terminal concentrador de cargas do cone sul. Hoje, [o terminal] já recebe as principais linhas marítimas que conectam a região do Mercosul com os mais importantes portos estrangeiros na Europa, Ásia e América do Norte”, destacou o diretor-presidente do terminal, Paulo Bertinetti.

Já o diretor-presidente do Tecon Salvador, Demir Lourenço, disse que a autorização é importante para manter e atrair novas rotas, atendendo importadores e exportadores da Bahia e de outros estados, como Minas Gerais, Espírito Santo, Tocantins, Pernambuco e Sergipe, que podem operar pelo porto da capital baiana. O diretor-presidente da Companhia das Docas da Bahia (Codeba), Carlos Autran Amaral, declarou que a homologação do Porto de Santos é o ponto de partida para que a Bahia integre a rota comercial sul-americana dos new panamax e se consolide como opção comercial para os players do mercado internacional.

O Tecon Salvador passou a operar regularmente um serviço com navios post-panamax, com 330 metros de comprimento (LOA) e 48,34 de boca desde julho do ano passado, quando o primeiro navio desta classe atracou no porto baiano. Em Rio Grande, o Tecon recebeu em 2020 navios de até 337 metros de comprimento e 48 metros de largura. Os navios, classe new panamax, possuem capacidade para transportar até 14 mil TEUs e são as maiores embarcações previstas para a América do Sul.


 

Compartir





ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias