Wilson Sons e Damen anunciam participação conjunta na licitação para construção de Navio de Apoio Antártico da Marinha do Brasil ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


CLAYTON DE SOUZA

A Wilson Sons e a Damen anunciam parceria na concorrência para a construção do novo Navio de Apoio Antártico (NApAnt) da Marinha do Brasil, que substituirá o Navio de Apoio Oceanográfico Ary Rongel. A entrega das propostas deve ocorrer até o final deste ano e anúncio final do vencedor em meados de 2021.

“Desde o nosso primeiro trabalho com a Wilson Sons, há 25 anos, tivemos a certeza de ter encontrado um parceiro capaz, competente e comprometido com o Brasil”, afirma Rutger Dolk, diretor da Damen Technical Cooperation, que complementa: “esta parceria estratégica fez toda a diferença para o sucesso de nossa atuação no país e nós dá muito conforto para entregar os navios com a devida qualidade requisitada pela Marinha.

Além da licitação do NApAnt, a Marinha também está analisando a potencial construção de dois Navios de Apoio Hidroceanográficos. Futuras demandas de Navios Patrulhas e Embarcações de Busca e Salvamento também poderão ser objeto de necessidade da Força Naval no médio prazo e estão dentro do escopo da parceria firmada entre as duas empresas.

“Somos parceiros da Damen em 92 projetos ao longo das últimas duas décadas. Estamos otimistas com estas demandas em virtude da nossa experiência no mercado, da qualidade técnica de ambas as empresas e do histórico de entregas dentro do prazo, sempre seguindo as melhores práticas de engenharia, qualidade e segurança”, destaca o diretor executivo dos estaleiros da Wilson Sons, Adalberto Souza.

Com alta tecnologia empregada, o NApAnt dará apoio à estação brasileira Comandante Ferraz na Antártica, no extremo sul do planeta. O navio terá capacidade suficiente para prestar apoio logístico ao continente gelado, atendendo aos requisitos específicos de construção demandados, transportando significativo volume de cargas e equipamentos, além de abrigar laboratórios científicos modernos, com conforto e segurança para sua tripulação.

A exigência de conteúdo local é de no mínimo 45% e os investimentos são da ordem de R$ 750 milhões. Caso as empresas vençam a licitação, o navio será construído nos estaleiros da Wilson Sons no Guarujá, em São Paulo.


Compartir





ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias