Wilson Sons recebe Prêmio Exportação pelo trabalho do Tecon Rio Grande ¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


A Wilson Sons foi premiada novamente com o Prêmio Exportação em razão do trabalho desenvolvido pelo Tecon Rio Grande. Considerado um dos mais importantes do País e uma das instalações mais competitivas na América do Sul, o terminal, que completou 25 anos de operações em março, é um dos vencedores como Destaque Serviços de Suporte à Exportação.

Esta é a oitava vez consecutiva que o Tecon Rio Grande é reconhecido nesta categoria. A cerimônia de entrega do 50ª Prêmio Exportação, concedido pela ADVB/RS, ocorreu no dia 11 de agosto na Casa NTX, em Porto Alegre. Na ocasião, o Diretor Comercial do Tecon Rio Grande, Renê Wlach, recebeu a distinção.

Porta de entrada e saída do Rio Grande do Sul para o mundo, o Tecon Rio Grande tornou-se ao longo destas mais de duas décadas fundamental para o desenvolvimento econômico do Estado. Hoje, com mais de 3 mil clientes importadores e exportadores, o Tecon Rio Grande recebe as principais linhas que escalam o Brasil, oferecendo serviços semanais para todos os trades do mundo a partir de 13 clientes armadores.

O Tecon Rio Grande tem 74% de exportações e 26% de importação. Mais de 600 variedades de mercadorias, como peças, produtos químicos, resinas e plásticos vieram de mais de 50 localidades mundiais, como China, Estados Unidos, Marrocos, Bélgica e Singapura. O volume expressivo na exportação corresponde a produtos da indústria de transformação, como resinas, madeira, frango congelado, carne suína e móveis que aportaram do Tecon Rio Grande rumo a Estados Unidos, China, Peru e Arábia Saudita.

Segundo o diretor-presidente do Tecon Rio Grande, Paulo Bertinetti, o papel do terminal na logística para as empresas gaúchas em longo curso é extremamente relevante, uma vez que oferece uma alternativa segura e confiável para armazenagem e movimentação dos mais diversos tipos de carga. “O Tecon Rio Grande é um dos mais importantes terminais de contêineres do País e uma das instalações mais competitivas na América do Sul. Com localização estratégica e equipamentos de ponta, o terminal tem serviços semanais de longo curso, possibilitando levar a carga gaúcha para todos os continentes”, explica Bertinetti.

Em seus 25 anos de história, além de cumprir os compromissos contratuais, a Wilson Sons realizou grandes investimentos no Rio Grande, incrementando a capacidade e a produtividade do terminal por meio de modernização tecnológica de equipamentos, processos e adequação da infraestrutura. Neste período, o terminal teve seu cais de atracação triplicado para 900 metros e o calado aumentado de 12,5 m para 15 m (49,2 pés). Também é condicionado a receber os maiores navios que escalam o Brasil e o mundo. São 735.000 m² de área total, com capacidade estática de 25.000 TEU, 20.000 m² de armazéns para carga geral e especiais e 10 gates totalmente automatizados para a entrada e saída do terminal, além de 2.800 tomadas para contêineres refrigerados (reefer).

O Tecon possui nove STSs (Ship to Shore Container Crane – capazes de operar em navios de até 24 contêineres de largura) e 22 RTGs (Rubber Tyred Gantry Crane, pontes rolantes sobre rodas utilizadas na movimentação dos contêineres no pátio), além de dois Mobile Cranes (guindaste controlado por cabos), 12 Reach Stackers (empilhadores de contêineres) e 56 Tratores de Pátio. Conta ainda com o sistema operacional Navis N4, líder global em gestão de terminais portuários, e com o Teconline, plataforma com mais de duas décadas de funcionamento e mais de 2,6 mil usuários ativos de diversos países, que atende transportadoras, despachantes, armadores, órgãos anuentes, importadores, exportadores, agentes de carga, entre outros, na consulta de informações sobre cargas, programação de navios e agendamentos.

Bertinetti avalia que estes 25 anos de atuação ajudaram a consolidar o Tecon Rio Grande como um importante ator para o desenvolvimento econômico e social do Estado. “Os investimentos e a dedicação de todos os nossos colaboradores ao longo desse tempo fizeram com que chegássemos a esta posição privilegiada, o que só se confirma ao sermos novamente reconhecidos pelo Prêmio Exportação. Somos um dos mais competitivos terminais de contêineres da América do Sul, mas ainda há muito a ser explorado. Estamos no caminho certo e prontos para o futuro”, afirma.

O terminal também vem investindo na conteinerização de cargas tradicionalmente transportadas a granel, com projetos como a estufagem de toras de madeira e trigo, além do fomento à importação de fertilizantes via contêineres. A exportação de proteína animal e madeira compensada do Uruguai via Porto do Rio Grande é outra iniciativa do terminal.


 

Compartir




Ver mais conteúdos