Porto do Pecém reinicia serviço de exportação de frutas frescas para a Europa ¿Encontraste un error? Avísanos

 

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


O terminal portuário do Pecém reiniciou  o serviço de exportação da safra de frutas frescas produzidas no nordeste brasileiro.

O primeiro navio em atracar foi o MSC Caterina no terminal de múltiplas utilidades (TMUT) do Porto do Pecém para carregar melões, mangas e uvas em direção à Europa.

No primeiro embarque estão sendo enviados aproximadamente 260 contêineres refrigerados (reefers) para o continente europeu através da linha NWC, operada pela MSC (Mediterranean Shipping Company) e que cobre sete portos em seis países da Europa: Porto de Roterdã/Holanda; Porto de Londres/Inglaterra; Porto de Bremerhaven/Alemanha; Porto de Hamburgo/Alemanha; Porto de Antuérpia/Bélgica; Porto de Le Havre/França; e Porto de Sines/Portugal.

As frutas embarcadas no Porto do Pecém são oriundas de 40 produtores localizados nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia, mais especificamente no Vale do Rio São Francisco. São 15 grupos produtores de melão e outros 35 grupos produtores de manga e uva, frutas que em alguns casos chegam a ser colhidas horas antes do embarque no terminal cearense.

“O embarque de frutas é uma das principais operações do Porto do Pecém, um terminal que tem localização estratégica para o sucesso desse tipo de movimentação. Saindo daqui as frutas produzidas no nordeste chegam mais rapidamente aos Estados Unidos e a Europa. Por isso, a simples manutenção desse serviço, em meio a uma pandemia, já é motivo de celebração para todos nós que estamos envolvidos nesse processo importante para a fruticultura brasileira”, enfatiza Danilo Serpa – Presidente do Complexo do Pecém.

“Nós operamos no Pecém desde a inauguração do porto cearense, mas até 2016 não tínhamos esse serviço de frutas aqui. Foi então que resolvemos fazer um investimento robusto, acreditando na localização estratégica do Pecém. É um terminal que nos oferece qualidade e segurança, onde 100% das frutas são pesadas e escaneadas, ou seja, são condições que favorecem e viabilizam esse serviço de exportação”, afirma Daniel Soares – gerente da MSC Fortaleza.

As frutas embarcadas no Porto do Pecém são consumidas, principalmente, na Holanda e Reino Unido. Mas outros países também consomem a produção nordestina através dos três serviços de exportação de frutas, operados atualmente por MSC, Hapag-Lloyd e Maersk.


 

Compartir



ESPECIAL COVID-19
Ver más noticias