Comércio entre Brasil e Catar em alta, carnes são destaque
¿Encontraste un error? Avísanos

Por Redacção PortalPortuario.cl

@PortalPortuario


Este ano os olhos do mundo estão voltados ao Catar. O motivo: a Copa do Mundo de 2022. A expectativa do mercado com o evento é de um movimento positivo para a economia dos países e os números do comércio exterior mostram-se positivos entre Brasil e Catar.

De acordo com dados do Comex Stat, entre janeiro e outubro de 2022 a importação brasileira chegou a movimentar 1 bilhão de dólares com liderança nos produtos de fertilizantes e gás natural liquefeito (GNL). A exportação subiu em 167% no mesmo período, em comparação ao ano anterior, e movimentou quase 340 milhões de dólares. A carne é a segunda commodity mais exportada pelo Brasil ao Catar, ficando atrás apenas do minério.

Esta demanda pode ser explicada pelo perfil econômico do país, que é um dos maiores produtores de petróleo do mundo, segundo a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (a Opep). Após 60 anos, o Catar deixou de participar da Opep, para concentrar a produção em gás natural liquefeito, tornando-se o principal exportador desse produto no planeta. Em compensação, a demanda de bovinos e frango é maior que a produção própria e, por isso, grande parte destes produtos vem do exterior.

Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Brasil é o responsável por 60% do volume de carne de frango importado pelo país. Nos primeiros dez meses deste ano, cerca de 90 mil toneladas de carne de frango saíram do Brasil em direção ao país do Oriente Médio – um avanço de mais de 40% no mesmo intervalo de 2021.

No Brasil, a TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, é a maior rota de exportação brasileira de carnes para o Catar. De acordo com dados do Comex Stat, a TCP lidera com 40% da exportação nacional de carnes para o país e segue crescendo cada vez mais. De janeiro a outubro de 2022, o volume de carnes embarcadas pela TCP para o Catar foi de mais de 38,8 mil toneladas, um aumento de 52% se comparado ao mesmo período do ano passado, – com uma movimentação financeira de mais de 210 milhões de dólares.

O gerente comercial da TCP, Giovanni Guidolim de Souza, destaca que os números apontam para um crescimento da economia do Brasil com as exportações ao Catar e “a TCP está investindo para atender a esta, e outras, demandas de mercado. Só em 2022, 370 milhões de reais já começaram a ser investidos no terminal. Eles são fundamentais para ampliar nossa área de refrigeração, fortalecendo a TCP como uma referência para o mercado internacional de carnes.”

A TCP é considerada líder de mercado no serviço de exportação de carne de frango. Para se ter uma ideia, nos primeiros 10 meses deste ano, cerca de 1,72 milhão de toneladas do produto foram exportadas pelo terminal. Para atender esta demanda, a empresa está em constante modernização, inclusive ampliando as áreas reefer (refrigeradas) em 43% em 2022, ou seja, passará a contar com mais de 5 mil tomadas para energização e armazenamento de contêineres refrigerados.

Maior rota exportadora de contêineres

Outro dado importante revela que a TCP foi a empresa brasileira com maior rota exportadora de contêineres para o Catar, entre os meses de janeiro e setembro de 2022. De acordo com o sistema DataLiner, o terminal movimentou quase três vezes mais que o segundo colocado.

Houve também um crescimento de 65% em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo Guidolim, a TCP está cada vez mais “quebrando recordes de produtividade e aprimorando o atendimento ao cliente. Só este ano, chegamos a registrar dois recordes de movimentação no mesmo dia e, em outubro, recebemos o maior navio em capacidade da história do terminal”.


Compartir




Ver mais conteúdos
Translate »